U.F. de Moscavide e Portela

Tiago Tajola

U. F. de Moscavide e Portela

O meu nome é Tiago Tajola, tenho 40 anos e vivo na nossa Freguesia há 40 anos! Sou candidato pela Iniciativa Liberal à União de Freguesias de Moscavide e Portela!

Depois de muitos anos desligado da Política, o surgimento da Iniciativa Liberal fez-me reavivar o interesse pela missão pública. Não me revejo apenas nos valores, mas também na postura daqueles que representam o partido. Um modo diferente de estar e fazer política, onde as pessoas são o centro, e o estado existe para as servir. Onde as decisões se tomam com base no que é melhor para os cidadãos e menos com base em ideologias, uma política de problemas identificados e soluções criadas.

E por isso mesmo quero uma Junta de Freguesia de Moscavide e da Portela mais liberal! E mais liberal significa mais transparente, mais moderna, mais focada nos cidadãos. Com mais liberdade, com mais escolha, com mais participação dos fregueses, com melhores processos, melhor informação, melhor prevenção. Com muito mais visão, muito mais ação e muito mais proatividade!

Quero mais, queremos mais! Muito mais! Está na Hora! Está na Hora de Libertar a Vila de Moscavide, está na hora de Libertar a Urbanização da Portela, está na hora de Libertar a Urbanização dos Jardins do Cristo Rei.

Vê o video de apresentação aqui.

As nossas propostas para a U.F. de Moscavide e Portela

Mais transparência e clareza na gestão da Freguesia

É essencial que a gestão da nossa freguesia seja clara e transparente! E não basta dizê-lo, é preciso fazê-lo. E isso só é possível com a adoção de medidas que permitam, com o máximo de clareza, demonstrar aos cidadãos como é aplicado o seu dinheiro.

E para que isso aconteça, é necessário começar por reduzir ao mínimo o recurso a ajustes diretos e registar de modo célere e detalhado todos os contratos realizados, no Base.GOV. É também essencial criar indicadores mensuráveis das várias atividades e responsabilidades da Junta de Freguesia, colocá-los visíveis para os cidadãos e manter os mesmos atualizados.

Há também que detalhar e partilhar os processos de gestão de modo que os mesmos possam ser avaliados pelos Fregueses! Só assim se pode dar espaço aos cidadãos para proporem melhorias aos mesmos e inclusive participarem na sua alteração e implementação.

É essencial desburocratizar todos os processos que passam pela interação dos Fregueses com a Junta, e dar suporte aos cidadãos na interação com outras entidades do estado, seja ao nível municipal ou nacional, sejam empresas público-privadas.

Mais Liberdade de iniciativa e de escolha

Uma ideia central nas políticas que pretendemos trazer ao nível autárquico é a colocação clara da Junta ao serviço dos cidadãos! O indivíduo tem que ser o centro da gestão da freguesia, onde um processo decisional não pode ser baseado em ideologia ou compromisso político, mas sim no único compromisso real existente, que é com os Fregueses.

Há que incentivar e colaborar com os cidadãos, associações, escolas e empresas da Freguesia na criação de eventos sociais e culturais, de modo a incentivar a dinâmica e liberdade de ação dos cidadãos! Não acreditamos que a junta deva substituir-se aos cidadãos nestas atividades, achamos sim que deve ser o suporte, a retaguarda, a ajuda de que os cidadãos precisam para dinamizar o espaço público e cultural.

Só assim podemos voltar a colocar os cidadãos no centro, dando-lhes espaço para trazer ideias e serem ativos no seu desenvolvimento e implementação, trazendo para dentro da gestão autárquica aqueles que representamos e que somos eleitos para defender, ajudar e apoiar.

Também essencial é a liberdade de escolha! Do conjunto de serviços, muitos deles ligados ao apoio social, que a Junta de Freguesia patrocina, nenhum permite aos cidadãos a liberdade de escolher o seu prestador!

A alteração deste modelo é essencial! Se a Freguesia financia estes serviços, é indiferente fazê-lo por via da sua prestação ou por via da coparticipação financeira naquela que é a escolha dos cidadãos! Para isso, basta que os custos da prestação sejam claros, dando liberdade de escolha na seleção do prestador, sempre que os cidadãos demonstrem essa vontade!

Isto não significa o fim da prestação destes serviços por parte da Junta de Freguesia, significa sim que caberá ao Freguês escolher se pretende o serviço disponibilizado pela Junta, ou se pretende escolher outro prestador, financiando a Junta o cidadão em valor idêntico ao custo que tem com a prestação.

Mais gestão proativa e preventiva

O conjunto de responsabilidades de uma Junta de Freguesia não pode esgotar-se nas suas competências executivas, sejam as detalhadas pela lei, sejam as delegadas pelas Câmaras Municipais. Há que assumir um papel ativo na busca de soluções para as questões locais que saem da esfera de gestão da Junta, fazendo uso do poder delegado pelos eleitores, para exercer pressão e procurar soluções junto das entidades que assumem responsabilidades na gestão do espaço público local.

Seja junto da Câmara Municipal, seja junto dos SIMAR, da PSP ou de outra qualquer entidade pública ou privada, é essencial representar os cidadãos nas suas reclamações e preocupações e ir mais longe na procura de soluções que resolvam os problemas, seja em parceria com estas entidades, seja substituindo-se às mesmas naquilo que a lei o permite.

Também proativamente é necessário intervir junto da Câmara no sentido de delegar na Junta o máximo de funções possível. E para isto não basta reclamar por mais responsabilidade, é preciso também demonstrar que quando a mesma é delegada, o trabalho é executado, os resultados são reportados e os Fregueses saem a ganhar.

Só assim é possível reclamar por mais responsabilidade, com a força de quem anteriormente assumiu novos desafios, os concretizou de modo correto, diligente e eficiente, demonstrando os benefícios para os cidadãos.

É também necessário começar a olhar para o espaço público no médio e longo prazo, optando sempre que possível por políticas preventivas, que sejam menos custosas no longo termo, e que de modo consistente aliviem da Freguesia o peso humano e financeiro de “correr atrás do prejuízo”! A capacidade de acorrer rapidamente aos problemas quando eles existem é louvável, mas o melhor para a Freguesia é agir antes que surjam estes percalços.

Melhor Educação, Mais Futuro

No que se refere à educação, é essencial multiplicar o número de AECs disponíveis, permitindo assim aos pais e crianças uma verdadeira liberdade de escolha no que concerne ao complemento educativo das nossas crianças e jovens.

Há que adaptar estas atividades aos tempos modernos, dinamizando não só as atividades existentes, mas também disponibilizando novas, que vão de encontro aos desafios do presente e do futuro, e que tragam mais valias diferentes e modernas.

Moscavide e Portela mais Liberal!

Queremos uma Junta de Freguesia de Moscavide e da Portela mais liberal, mais transparente, mais moderna, mais focada nos cidadãos. Com mais liberdade, com mais escolha, com mais participação dos fregueses, com melhores processos, melhor informação, melhor prevenção. Com muito mais visão, muito mais ação e muito mais proatividade!

Queremos mais! Muito mais! Está na Hora! Está na Hora de Libertar a Vila de Moscavide, está na hora de Libertar a Urbanização da Portela, está na hora de Libertar a Urbanização dos Jardins do Cristo Rei.

A nossa Lista para a U.F. de Moscavide e Portela